quarta-feira, maio 31, 2006

Feira de Roedores 2004 (Out/04)















o Hannibal foi um dos porquinhos presentes na Feira

O CAPI esteve presente nos dias 30 e 31 de Outubro de 2004 na Feira de Roedores e Mamíferos Exóticos no Jardim Zoológico, organizada pela loja Zooexótico e Clube Chinchila de Portugal.

A Feira foi bastante interessante e muito concorrida.Com o tempo que esteve nunca pensámos que estivesse tanta gente o que revelou o interesse das pessoas pelos nossos pequenos amigos.

Foi a primeira vez que o clube organizou uma mostra de raças de Porquinhos estando presentes na altura alguns exemplares de Coronets, Merinos,Texels, American e English Crested e Selfs de Pêlo Curto.

Houve muitas pessoas interessadas e aqui atingimos o nosso objectivo que era reunir o número de sócios necessários para poder avançar com a escritura do Clube.

terça-feira, maio 30, 2006

Petfil 2004 ( Set/04)


Na Petfil, em Setembro de 2004, o CAPI fez a sua primeira apresentação pública. Foi uma primeira experiência que devido aos nossos meios limitados na altura, penso que correu bastante bem.A nossa experiência em eventos do género era nenhuma e devido a isso também não podíamos ser demasiado ambiciosos.
A ideia era mesmo divulgar os Porquinhos-da-Índia como animal de estimação e informar sobre a forma como devem ser tratados.

Quando se houve falar em Criação de Porquinhos-da-Índia de Raça e se constatou que a maioria das pessoas que vinham ter connosco ainda os olha como animais de galinheiro de fraca qualidade, que servem apenas para espantar ratazanas, ficámos um pouco desapontados.

O problema foi mais grave quando 8 em 10 pessoas não sabiam o que é um Porquinho-da-Índia e apenas uma percentagem ínfima viu um de pêlo comprido, chegando a perguntar mesmo se não é um animal diferente. Houve mais pessoas a identificá-los como Hamsters, Coelhos,Ratos ou Chinchilas do que como Porquinhos ou Cobaias.

A maioria das pessoas queixavam-se que são animais de curta duração, que arranjam problemas de saúde muito facilmente ( muitas pessoas queixaram-se que morrem muito depressa) e que não existe interesse do ponto de vista dos veterinários e por vezes conhecimento na forma de tratamento. Penso que de facto este é um problema importante, pois enquanto não houver na classe veterinária um interesse generalizado em aprender formas de intervenção quando os nossos amigos ficam doentes, não é possível tê-los como um animal de estimação de qualidade.
Ainda bem que estão a surgir novos veterinários com uma mentalidade diferente e mais aberta, alguns já com algum grau de experiência em Porquinhos-da-Índia, é pena é ainda serem muito poucos.

É preciso passar a ideia que o nosso amigo não é mais dificil de tratar do que um cão ou um gato e pode ter uma longevidade tão grande como estes se for tratado adequadamente, de forma a que opiniões como estas :

- "Ai, já tive muito disso mas morrem tão depressa" ou
- "Comprei na loja e ao fim de poucos dia morreram" ou
- "Morrem assim de repente"
que foram o que mais se ouviu, no futuro não tenham tanta expressão.

Ainda existe muito a fazer em informar as pessoas para problemas como a necessidade de terem sempre feno disponível e alimentos ricos em Vitamina C, que são dois aspectos básicos mas muitas vezes desconhecidos.

Outra das queixas que se ouviram foi que criam muito depressa e depois têm que se desfazer deles. Ora, se as pessoas forem consciencializadas para os problemas da criação e que esta deve ser feita de forma muito responsável, talvez opiniões destas deixem de existir.

Tem-se muito a ideia de que comprar um casal é giro, só que as pessoas não têm a noção de que esse casal cedo irá se multiplicar e de repente ficam com um problema entre mãos. Aliás, se comparados com os gatos isso até nem é verdade, pois um gato pode fazer procriação muito mais rapidamente que um porquinho, apenas isso não acontece pois as pessoas têm o devido cuidado a limitar essa procriação, através de programas de castramento e esterilização.Daí a necessidade de informar a pessoa que queira ter um porquinho como animal de estimação que o melhor é adquirir dois do mesmo sexo.

E sobre estes temas se focaram mais as expressões e opiniões das pessoas que nos visitaram. De realçar que também houve pessoas interessadas em ouvir e aprender novas coisas e informações sobre os nossos pequenos amigos e a todos os que nos visitaram no nosso pequeno stand um grande obrigado.

segunda-feira, maio 29, 2006

CAPI nas Revistas de Animais de Junho

Também a revista "Os nossos Cães" e "Cães e Companhia" de Junho sairam esta semana com a reportagem do Dia dos Porquinhos-da-índia, sendo que esta última apresenta duas fotos do evento, incluindo a do Best-in-Show.

Alojamento e Cuidados Básicos















O equipamento básico consiste numa gaiola (40x60cm no mínimo), quanto maior melhor, numa casinha, num pratinho para comida ou comedouro, um bebedouro com esfera rotativa, aparas de madeira (ou outro material apropriado) para cobrir o chão e claro sempre muita comida disponível.

Os porquinhos gostam de túneis e de brincar com esferas de metal que estão dependuradas na gaiola e que contêm feno.Tudo isto deve estar preparado antes do porquinho vir para que este fique confortável desde o início.

Os custos de manutenção não são muito elevados, baseando-se apenas na alimentação e material para forrar a gaiola, mas devem ser sempre equacionados. Também o futuro dono deverá questionar-se se tem tempo e disposição para desempenhar diáriamente todas estas tarefas, visto que o animal poderá correr risco de vida se não for alimentado todos os dias.

Acompanhado de pequenos afagos, o porquinho necessita também de fazer exercícios num espaço amplo, de maneira a poder correr um pouco e distanciar-se do ambiente claustrofóbico da gaiola. A alimentação deverá ser fornecida sempre a uma hora regular, bem como os dias em que a gaiola é limpa, dado que é sempre mais fácil fazer as coisas se estas obedecerem a um calendário regular.Se a gaiola for limpa regularmente, os porquinhos não irão cheirar mal, pelo que não existe problema nenhum com cheiros dentro de casa.

Rui Martins e Verena Fuchs
CAPI – http://capi.no.sapo.pt

domingo, maio 28, 2006

Alimentação



O mais importante a incluir na alimentação dos Porquinhos-da-índia é o Feno, deve ser uma mistura de diferentes ervas. O feno deve estar totalmente sêco, livre de pó, com uma côr verde e cheiro agradável. Feno estragado, podre ou com bolôr tem de ser evitado.

O feno traz a celulose, que é muito importante para a alimentação dos Porquinhos-da-índia. Estas fibras são fundamentais dado que obrigam a um uso constante dos dentes de modo a que o animal possa ingerir pedaços mais pequenos. Por causa disso, muito feno é bom para evitar problemas dentários.

Também é uma forma de ocupar o tempo, dado que uma quantia considerável de feno leva sempre algum tempo a ser ingerida e dessa forma o animal não fica entediado sem fazer nada, para além de que estes animais fazem por vezes umas poses divertidas quando estão a comer.

Mas só feno não basta, já que deve ser acompanhado sempre com comida rica em Vitamina C. Os porquinhos não sintetizam a Vitamina C, por isso esta deve ser fornecida diariamente em vegetais frescos e frutas.

Assim, de seguida, eis alguns alimentos aconselháveis: ervas frescas e compridas, cenouras, pêras, maçãs sem casca, pimentos, pepinos, uvas, coentros (não dar a fêmeas grávidas!), espinafres, tomates, dentes-de-leão, rama das cenouras, trevos, courgetes, betarraba, salsa, laranja.

Todos eles devem ser dados em quantidades moderadas e retirados da gaiola quando se verificar que já não se apresentam frescos.

A comida sêca que se compra nas lojas de animais ou supermercados, não deve representar mais de 20% da ração diária do animal ( mais ou menos 1 ou 2 colheres de sopa por animal/dia) e deve ser própria para Porquinhos-da-índia. Não deve dar ração para coelho!

Se tiverem sempre vegetais frescos, os porquinhos bebem pouca água, mas deve-se ter um biberon com água fresca sempre disponivel na gaiola.

Rui Martins e Verena Fuchs
CAPI – http://capi.no.sapo.pt

sábado, maio 27, 2006

Os Porquinhos-da-índia
















Apesar do seu nome, a origem desta espécie está na América do Sul, onde um parente selvagem do nosso porquinho doméstico, pode ser ainda hoje encontrado,
nas regiões do Noroeste e Sudeste deste continente, tendo sido domesticados pelos Incas, muito antes dos primeiros europeus terem por lá aportado.

Como animal de estimação, o Porquinho da Índia tem vindo a ser promovido, nos últimos anos, a um patamar muito interessante.

Introduzido na Europa pelos Espanhois no século XVI, os porquinhos rapidamente se popularizaram e começaram a ser criados em vários países europeus no século XVIII.

Nos primórdios do século XIX foram organizadas as
primeiras Exposições de várias raças em Inglaterra, julgadas por um Standard de Raças.
Hoje em dia existem muitos criadores e fãs de porquinhos por todo o mundo.

Em Portugal, ainda há poucos anos, os Porquinhos da Índia eram considerados apenas como petisco culinário em algumas regiões do país, mas o interesse por eles como animal de companhia está a crescer rápidamente, existindo já alguns criadores portugueses que fazem criação das mais diferentes raças e que têm interesse em mostrá-las.

O carácter carinhoso e o seu ar de mascote, levou a que fosse cada vez mais acarinhado e faz dele um caso de
sucesso como animal de companhia.

Manter um Porquinho da Índia é relativamente fácil, não precisa de uma gaiola muito grande (no mínimo 40x60cm,
mas quanto maior, melhor!), não é ruidoso e não tem cheiro intenso.

Os Porquinhos são animais sociais que nunca devem estar sozinhos. O melhor é ter um par do mesmo sexo junto,
dado que os porquinhos, como todos os roedores, têm grandes ninhadas num curto espaço de tempo.

Devem ainda ter a possibilidade de fazer exercício diário fora das gaiolas, de maneira a manterem a forma.

As gaiolas devem ser limpas com muita frequência de modo a evitar cheiros.

A cama deve ser feita com aparas de madeira ou outro material próprio que se pode encontrar nas lojas de animais.

Deve estar sempre disponivel água em bebedouro próprio, com esfera rotativa.

A alimentação deve ser feita à base de feno e de ração própria para Porquinhos da Índia enriquecida com Vitamina C.
Diariamente devem ser oferecidos frutas e vegetais frescos (ver tópico alimentação).

Os Porquinhos da Índia mais comuns são tricolores de pêlo curto, mas existe uma grande variedade de raças e cores (ver tópico raças).

Em adulto, o seu tamanho pode atingir os 25 cm e o seu peso entre 750 e mais de 1kg.

A sua esperança de vida varia entre os 5 e os 8 anos.

Rui Martins e Verena Fuchs
CAPI
– http://capi.no.sapo.pt

sexta-feira, maio 26, 2006

Cães e Mascotes de Junho



Na Revista Cães e Mascotes de Junho saiu um artigo sobre a nossa 2ª Exposição Nacional que realizámos no Mercado da Ribeira em Lisboa, integrada no Dia dos Porquinhos-da-índia, bem como a lista dos vencedores das várias classes.

Novos Pontos de Inscrição e Desconto CAPI











O CAPI tem duas novas lojas como colaboradores e Pontos de Inscrição CAPI, para além de oferecerem 10% de desconto na compra de produtos aos sócios do clube : a ArcaZoo, loja da Natureza e a loja de animais Koala, que se vierem juntar às já existentes ( Ver página do CAPI, item Vantagens).

Nota Editorial


Nas próximas semanas, o jornal irá publicar de forma cronológica, vários textos sobre os eventos do CAPI nos últimos dois anos, de forma a recordar o que tem sido o trabalho do clube.



Intercalados com estes textos, irão sendo colocados outros textos sobre Porquinhos-da-índia em geral, também já publicados noutras páginas ou em edições do Jornal dos Porquinhos, de forma a se conseguir reunir uma colectânea dos textos publicados pelos membros do clube.

quinta-feira, maio 25, 2006

C.A.P.I.



O C.A.P.I. , Clube dos Amigos dos Porquinhos-da-Índia, foi fundado e registado provisoriamente em Agosto de 2003, tendo feito a sua Escritura em Cartório Notarial no dia 4 de Novembro de 2004. A apresentação do clube e primeira aparição pública ocorreu na Petfil, em Setembro de 2004.

Trata-se portanto de uma associação devidamente registada e com orgãos eleitos.
O Clube dos Amigos dos Porquinhos-da-Índia é para todas as pessoas que gostam de Porquinhos-da-Índia. Os associados podem assim partilhar as experiências com estes maravilhosos animais. Mesmo sendo animais de estimação comuns, que podem ser comprados em quase todas as lojas de animais, existe pouca literatura e documentação sobre eles, pelo que por vezes é complicado obter uma fonte com informação e respostas para certos problemas. O clube pretende ser essa fonte. Um dos objectivos do clube, é Informar sobre Porquinhos-da-Índia e talvez tornar interessado alguém que ainda não ouviu falar destes adoráveis animais.

Também as condições de vida dos porquinhos por vezes não são muito boas e esperamos que quanto mais informação houver sobre as necessidades deles, melhor essas condições possam ser.
Também muitas pessoas desejam ser informadas melhor sobre os seus animais de estimação, mas não sabem onde encontrar essa informação. Nós ficamos contentes se pudermos melhorar um pouco a vida de cada porquinho com a informação disponibilizada e a troca de experiências.

Outro dos objectivos do clube, é estabelecer uma Plataforma para Criadores e para aqueles que pensam fazer criação de porquinhos. Nada como a experiência para se ser um bom criador.
Os animais dos sócios do clube são reconhecidos pelo clube e este possui um Serviço de Registo de Porquinhos dos sócios. O clube organiza Mostras de Raças e Exposições com Julgamento e Eventos Informativos de modo a haver propaganda em volta dos Porquinhos-da-Índia e um melhor conhecimento deste belo animal, para além dos Criadores e Associados poderem exibir os seus exemplares e mostrá-los ao grande público. Outro aspecto que o clube pretende implementar é a protecção dos Porquinhos-da-Índia.

O clube possui um Serviço de Adopção para Porquinhos-da-Índia. Assim, animais que não sejam mais desejados podem encontrar uma nova casa onde possam ser bem tratados, impedindo que sejam postos na rua ou enviados para serem alimentação de répteis. O clube faz publicidade a estas adopções na sua Página e em Diversos Fóruns da Internet. Para este sistema funcionar é preciso a colaboração de diversas pessoas amantes dos Porquinhos-da-Índia. Gostaríamos que todos os associados se pudessem envolver nestes projectos, no entanto, quem pensa que não tem tempo ou disponibilidade, está também convidado a entrar no clube.

Quanto mais pessoas se juntarem a este projecto, maior sucesso ele terá.

O Presidente do C.A.P.I.
Rui Martins