terça-feira, maio 30, 2006

Petfil 2004 ( Set/04)


Na Petfil, em Setembro de 2004, o CAPI fez a sua primeira apresentação pública. Foi uma primeira experiência que devido aos nossos meios limitados na altura, penso que correu bastante bem.A nossa experiência em eventos do género era nenhuma e devido a isso também não podíamos ser demasiado ambiciosos.
A ideia era mesmo divulgar os Porquinhos-da-Índia como animal de estimação e informar sobre a forma como devem ser tratados.

Quando se houve falar em Criação de Porquinhos-da-Índia de Raça e se constatou que a maioria das pessoas que vinham ter connosco ainda os olha como animais de galinheiro de fraca qualidade, que servem apenas para espantar ratazanas, ficámos um pouco desapontados.

O problema foi mais grave quando 8 em 10 pessoas não sabiam o que é um Porquinho-da-Índia e apenas uma percentagem ínfima viu um de pêlo comprido, chegando a perguntar mesmo se não é um animal diferente. Houve mais pessoas a identificá-los como Hamsters, Coelhos,Ratos ou Chinchilas do que como Porquinhos ou Cobaias.

A maioria das pessoas queixavam-se que são animais de curta duração, que arranjam problemas de saúde muito facilmente ( muitas pessoas queixaram-se que morrem muito depressa) e que não existe interesse do ponto de vista dos veterinários e por vezes conhecimento na forma de tratamento. Penso que de facto este é um problema importante, pois enquanto não houver na classe veterinária um interesse generalizado em aprender formas de intervenção quando os nossos amigos ficam doentes, não é possível tê-los como um animal de estimação de qualidade.
Ainda bem que estão a surgir novos veterinários com uma mentalidade diferente e mais aberta, alguns já com algum grau de experiência em Porquinhos-da-Índia, é pena é ainda serem muito poucos.

É preciso passar a ideia que o nosso amigo não é mais dificil de tratar do que um cão ou um gato e pode ter uma longevidade tão grande como estes se for tratado adequadamente, de forma a que opiniões como estas :

- "Ai, já tive muito disso mas morrem tão depressa" ou
- "Comprei na loja e ao fim de poucos dia morreram" ou
- "Morrem assim de repente"
que foram o que mais se ouviu, no futuro não tenham tanta expressão.

Ainda existe muito a fazer em informar as pessoas para problemas como a necessidade de terem sempre feno disponível e alimentos ricos em Vitamina C, que são dois aspectos básicos mas muitas vezes desconhecidos.

Outra das queixas que se ouviram foi que criam muito depressa e depois têm que se desfazer deles. Ora, se as pessoas forem consciencializadas para os problemas da criação e que esta deve ser feita de forma muito responsável, talvez opiniões destas deixem de existir.

Tem-se muito a ideia de que comprar um casal é giro, só que as pessoas não têm a noção de que esse casal cedo irá se multiplicar e de repente ficam com um problema entre mãos. Aliás, se comparados com os gatos isso até nem é verdade, pois um gato pode fazer procriação muito mais rapidamente que um porquinho, apenas isso não acontece pois as pessoas têm o devido cuidado a limitar essa procriação, através de programas de castramento e esterilização.Daí a necessidade de informar a pessoa que queira ter um porquinho como animal de estimação que o melhor é adquirir dois do mesmo sexo.

E sobre estes temas se focaram mais as expressões e opiniões das pessoas que nos visitaram. De realçar que também houve pessoas interessadas em ouvir e aprender novas coisas e informações sobre os nossos pequenos amigos e a todos os que nos visitaram no nosso pequeno stand um grande obrigado.

Sem comentários: